Galeria de Presidentes

  João de Moura Gavião
Primeiro presidente do time e um dos fundadores da Associação Atlética Caldense.
Comerciante e fotógrafo, proprietário da “Photografia Selecta”. Nasceu em Poços de Caldas no dia 4 de junho de 1886. Em 1925, um grupo de rapazes trabalhadores se reunia em seu estabelecimento para falar de futebol e combinar suas partidas de domingo. João de Moura Gavião faleceu em julho de 1927.
  Bruno Fosco Pardini
Primeiro presidente e um dos fundadores do clube. Comerciante, hoteleiro e jornalista. Foi proprietário de bar e de hotel. Também foi editor, em 1916, do jornal “A voz do Trabalhador”. Nasceu em 4 de junho de 1892, em Massa, na Itália. Na época em que fundou a Caldense era presidente do Gambrinus Futebol Clube. Dedicou-se ao clube ocupando a presidência pela primeira vez em 1926, e a última foi em 1954.
  João Porfírio Brandão Júnior
Farmacêutico, natural de Dois Córregos-SP, nasceu em 10 de outubro de 1889. Foi presidente de 1927 a 1929. Fez uma administração segura, procurando ordenar o crescimento da entidade. Em reunião no dia 4 de setembro de 1928 determinou a mudança da data de comemoração do aniversário do clube para 7 de setembro. Não há explicação registrada em ata sobre o motivo da mudança.
  Alexandre Annibal Bussolino
Nasceu na Itália, em 6 de junho de 1902. Era industrial. Em sua passagem pela presidência, em 1930, deu curso às atividades do clube e procurou negociar a compra do campo de futebol “Chalé Procópio”.
  David Benedicto Ottoni
Médico, fazendeiro e ex-prefeito, nasceu em Poços de Caldas no dia 26 de junho 1904. Em seu mandato de 1931 estabeleceu um programa amplo de reformulação. Propôs a criação do departamento de atletismo, remo, natação, tênis e outros esportes compatíveis para rapazes e moças.
  João Mendonça Amorim
Foi comerciante e nasceu em Portugal, no dia 8 de setembro de 1892. Teve passagem pelo clube em 1932, quando tentou sanar as dívidas, empreendendo corte de gastos, principalmente com o clube de futebol. Foi o dirigente que estabeleceu o início do relacionamento da Associação Atlética Caldense com os clubes de Belo Horizonte.
Horácio de Paiva
Foi jornalista e exerceu o cargo de vereador. Natural de Poços de Caldas, esteve rapidamente na presidência em virtude da renúncia de João Mendonça. Não teve tempo para colocar em prática as realizações.
Ivo Sandry
Proprietário da Gráfica Tupi. Nasceu em São José do Rio Pardo em 1895. Foi presidente interino, pelo afastamento de Fosco Pardini, de 14 de fevereiro a 24 de abril de 1934. Teve uma vida inteira dedicada ao clube. Ocupou cargos em diversas diretorias.
  José Anacleto Pereira
Foi comerciante, natural de Silvestre Ferraz-MG (hoje Carmo de Minas). Nasceu em 24 de março de 1913. Foi presidente por mais de 10 anos alternados, sendo eleito pela primeira vez em 1934 e seu último mandado aconteceu em 1947. De espírito empreendedor e dinâmico, Juca Anacleto, como era mais conhecido, foi um dirigente que deu o melhor de si e de seu patrimônio para o clube. Esteve sempre preocupado em valorizar a “meninada da terra” e abrigá-la nos quadros da Veterana.
Faiek Anauate
Foi eleito em 1936, quando permaneceu por apenas oito meses no comando do clube. Pediu demissão por motivos pessoais, assumindo o vice José Anacleto Pereira, que convocou nova eleição, na qual foi eleito Martinho de Freitas Mourão.
  Martinho de Freitas Mourão
Médico e ex-prefeito de Poços de Caldas, nasceu em Serra Azul-SP em 4 de outubro de 1904. Mourão foi o presidente da Liga de Desportos de Poços de Caldas e idealizou o Conselho Fiscal e o Conselho Deliberativo e Administrativo da Caldense. Foi presidente de 1937 a 1939, quando implantou o semi-profissionalismo, com jogadores de outras cidades que atuavam pela Caldense.
Pedro Parisi
Foi funcionário público da prefeitura de Poços de Caldas. Ingressou como sócio na Caldense em 1926. Esportista, jogava tênis pelo Country Club. Esteve na presidência na gestão de 1939 a 1940. Enquanto esteve no cargo, procurou valorizar os jogadores novos e estruturou a equipe. Pediu demissão por motivos pessoais, sendo seu substituto José Anacleto Pereira.
Vinícius Vivas
Tabelião do Cartório do 2° Ofício, nasceu em Poços de Caldas no dia 3 de outubro de 1904. Foi presidente em três gestões – 1940, 1942 e 1945. Fez campanha para a Caldense chegar aos 1.000 sócios. Em 1945 formou um bom time, procurando estreitar os laços da Caldense com os times paulistas. Ele incentivou a prática do basquetebol entre os associados.
Luiz Loyolla Junqueira
Médico, era tesoureiro geral na administração de Vinícius Vivas (1940/41). Esteve no cargo por um curto período, suficiente para fazer a transição entre a diretoria anterior e a nova, que foi eleita em 1941-1942.
   João Coelho da Silva
Capitão da Polícia Militar de Minas Gerais. Nasceu em Juiz de Fora, em 14 de agosto de 1904, sendo eleito para o mandato de 1943-44. Em maio de 1943, propôs a mudança do nome do estádio “Chalé Procópio” para “Coronel Cristiano Osório”, homenageando o proprietário do terreno onde estava o campo de futebol da Associação Atlética Caldense. Trabalhou pela filiação junto à Federação Mineira, para que então pudesse jogar contra os times associados à entidade.
  Ismael Costa Pereira
Engenheiro, nasceu em Belo Horizonte no dia 2 de maio de 1906. Substituiu o capitão João Coelho da Silva. Ficou pouco tempo à frente da Associação Atlética Caldense passando o cargo para José Anacleto Pereira. Procurou realizar melhorias no espaço físico do clube com algumas construções.
  Adhemar Souza e Silva
Médico, fazendeiro e vereador. Nasceu em Botelhos, no dia 21 de janeiro de 1905. Esteve na direção em 1948, por período curto. Na sua gestão ocorreu um fato inédito: a Caldense disputou o Campeonato Amador de Futebol do Estado de São Paulo, fazendo parte da Zona 3, Setor 6. Pediu demissão, sendo substituído por Fosco Pardini.
  Alfredo Santamaría
Comerciante, nasceu em 3 de janeiro de 1911. Foi presidente de 1949 a 1951. Promoveu inúmeras partidas da Veterana com clubes de renome nacional. Em sua gestão, tentou elevar o time de futebol à divisão de profissionais. Para tanto, procurou as federações de Minas e de São Paulo. Foi responsável pela introdução da figura do preparador físico e do massagista para melhorar a condição atlética dos jogadores.
  Guerino Maran
Foi comerciante e nasceu em Poços de Caldas em 20 de janeiro de 1911. Exerceu a presidência de 1951 a 1953. Em sua gestão, procurou dar ênfase e incentivar a prática das diversas modalidades de esportes especializados.
As suas metas eram a construção de quadras de vôlei, basquete e tênis, a compra do terreno, a iluminação do campo de futebol e o pagamento das dívidas do clube. Foi na sua administração que teve início efetivo a negociação, junto à família do coronel Cristiano Ozório de Oliveira, para a aquisição do terreno ocupado pela Caldense. Maran trouxe times para treinar e realizar jogos, como Corinthians, Santos, São Paulo, Atlético Mineiro, Bangu e América do Rio de Janeiro.
Guerino Maran e todos os demais dirigentes renunciaram em 2 de dezembro de 1952, depois que a Câmara Municipal negou a subvenção anual que era destinada ao clube. Fosco Pardini o substituiu.
Rowilson Flora
Foi médico. Nasceu em Campestre no dia 23 de março de 1918. Ocupou a cadeira de presidente de 11 de fevereiro a 11 de junho de 1953, num momento de crise. Organizou a eleição para o triênio 1953/1955, tendo sido eleito Fosco Pardini.
  Leonardo Alves Mesquita
Comerciante e industrial, natural do Rio de Janeiro, tendo nascido a 28 de setembro de 1913. Ocupou a presidência com a renúncia de Fosco Pardini. Fez um grande trabalho de divulgação da Associação Atlética de Caldense e empenhou o esforço de iluminar o estádio Christiano Ozório. Junto com Oscar Nassif, procurou difundir as atividades do clube na imprensa paulista, através da Gazeta Esportiva, de São Paulo.
  João Batista Carvalho
Comerciante, nasceu em Poço Fundo-MG no dia 24 de março de 1925. Com ele foi criado o Departamento de Esportes Especializados e construída a quadra de cimento com moderna iluminação. Inicia os Jogos Abertos de Poços de Caldas, por sugestão do jornalista J. Ferreira e do tenente Jorge José dos Santos.
Petrônio Fernal
Foi superintendente das Indústrias Teophilo Cunha S.A. e arrendatário do Palace Hotel. Era natural de Oliveira-MG. Esteve na presidência por oito meses, de junho de 1957 a fevereiro de 1958. Devido às atividades profissionais, Fernal ausentava-se muito da cidade e não tinha como dar assistência ao clube. Por motivo de mudança, pede demissão em 24 de fevereiro de 1958. Foi prefeito de Ponta Grossa, no Paraná.
  Ronaldo Loyolla Junqueira
Cirurgião-dentista e fazendeiro, nasceu em Poços de Caldas no dia 11 de dezembro de 1928. Ocupou todos os cargos que um político municipal almeja.
Promoveu o esporte especializado, dando-lhe impulso, graças à conclusão da quadra coberta. Inicia a construção das arquibancadas, que propiciaram que as equipes especializadas treinassem e jogassem em todas as estações do ano e ofereciam conforto aos torcedores e associados.
Esteve à frente para receber a Seleção Brasileira de Futebol, que fez treinamento em Poços para a Copa do Mundo da Suécia. Recepcionou a Seleção Paraguaia pelo mesmo motivo.
No final de sua gestão, o time de futebol inicia a fase de entrosamento e preparação que resultariam na grande equipe das cinqüenta e sete partidas invictas, entre 1958 a 1959.
  Antônio Megale
Médico, nascido na cidade de Rivello, Itália, no dia 5 de junho de 1916. Foi o presidente que mais ocupou o cargo ininterruptamente, de 1959 até 1971.
Sua gestão proporcionou um desenvolvimento acentuado ao clube. Promoveu o esporte especializado, criando inúmeros departamentos que iam do pugilismo ao jogo de xadrez. Depois de trinta e seis anos de luta, em 28 de novembro de 1962, é Megale quem concretiza todo o esforço desprendido por diretorias anteriores e, em ato solene, recebe a escritura de terreno de propriedade da família do coronel Christiano Osório.
  Luís Sodré Ayres
Advogado, nasceu em Poços de Caldas no dia 19 de novembro de 1927. Ficou à frente do clube de 1971 a 1973 e, no seu mandado, continuou a construção de sede social. Tendo Geraldo Martins Costa e Sebastião Navarro Vieira Filho na direção do Departamento de Futebol, começando a formação de uma grande equipe.
Promove, em 1973, os Jogos Infantis de Poços de Caldas, dirigido a todas as escolas da cidade.
  Benedicto Norberto Filho
Advogado e administrador de empresas. Nasceu em Itajubá, no dia 28 de abril de 1928.
Sua administração foi marcada por intensa atividade social, com a realização de bailes, desfiles e espetáculos com artistas de renome nacional.
No período em que esteve no comando, o esporte geral conquistou inúmeros resultados e troféus. A equipe de futebol ficou classificada em terceiro lugar no Campeonato Mineiro de 1974.
  Carlos Alberto de Oliveira
Advogado, nascido em Poços de Caldas no dia 21 de janeiro de 1944. Sua atuação como presidente da Associação Atlética Caldense, de 1975 a 1977, foi marcada pela excelente campanha que o time de futebol realizou, saindo-se muito bem no Campeonato Mineiro e em outros torneios, como a Taça Governador do Estado, da qual se tornou campeão.
Nesse período despontaram jogadores de vôlei como Mário Xandó e Rogério Lima. No futebol destaque para Lira e Neto e no basquete Angelina Franco e Mônica Sandry.
  João Adem Sâmia
Advogado e comerciante, natural de Itajubá, onde nasceu no dia 24 de junho de 1930. Por duas vezes foi presidente da Caldense, 1977-1978 e 1985-1986. Nas suas gestões teve preocupação com a sede social atendendo às necessidades dos associados. Dinamizou as atividades do esporte especializado, além de promover o futebol, contribuindo para que o “verde e branco” se mantivesse na primeira divisão do Campeonato Mineiro.
  Francisco Luz
Industrial, nasceu em Cabo Verde em 04 de abril de 1937. Dedicou parte da sua vida ao clube. De 1979 a 1980 teve a honra de conduzir a Caldense para disputar, pela primeira vez, o Campeonato Brasileiro de Futebol, chegando à semifinal, no seu grupo. Como vereador contribuiu para que o estádio Ronaldo Junqueira fosse construído.
  Antônio Bento Gonçalves
Advogado e comerciante, nasceu em Poços de Caldas no dia 16 de junho de 1932. Esteve no clube de 1981 a 1984, e de 2011 a 2012.
No primeiro mandato seu trabalho foi pautado por grande empenho em expandir o atendimento ao associado, dando-lhe condições de freqüentar um espaço mais amplo e confortável. Aproveitou o estádio municipal, que estava sendo utilizado, e desativou o campo do “Christiano Osório”, construindo duas quadras de tênis, duas de peteca, um parque infantil, além da república dos jogadores. No andar superior da sede social fez o salão de ginástica, modificou os vestiários das piscinas. No segundo mandato ficou marcado pelos eventos sociais que promoveu no clube e também pela criação de Departamento de Marketing.
  José Angel Riveiro Lanos
Protético, natural de Paracaldo, Espanha, onde nasceu no dia 2 de fevereiro de 1933, residindo em Poços desde 1962. Durante a gestão de Antônio Bento Gonçalves, ocupou a presidência interina por alguns meses, procurando realizar uma administração sóbria e equilibrada, no início da década de 80.
  Amilton Vacarelli
Comerciante, nasceu em Poços de Caldas no dia 8 de setembro de 1930. Dirigiu a Associação Atlética Caldense na gestão 1987-1988. Procurou dar apoio ao futebol profissional. Destinou um salão e dotou-o de condições para que o Departamento de Tênis de Mesa pudesse treinar os mesatenistas e iniciantes nessa prática esportiva.
  Nilton Gomes Junqueira
Economista e industrial, nasceu em Poços de Caldas em 4 de junho de 1953. Foi presidente da Caldense por quatro anos (1989-1992). Durante seu mandato apoiou o esporte especializado, vendo o clube vencer inúmeros torneios nas diversas modalidades esportivas, como tênis de mesa, basquete, vôlei, atletismo e futsal.
O futebol profissional recebeu pouco investimento. Houve uma proposta e a tentativa de trabalhar com a “prata da casa”, mas os resultados não vieram. É nessa época que começa a ser editado o “Jornal Verde”, lançado para divulgar as atividades do clube.
  Albert Nogueira Mareca
Empresário do ramo de panificação, ex-secretário de Esportes de Poços de Caldas (2001-2004), formado em Contabilidade, nasceu no dia 19 de maio de 1972 em Poços de Caldas.
Está na presidência da Caldense desde 2005, realizando reformas gerais no clube. Construiu a sala de tênis de mesa e novos quiosques e adquiriu aparelhos para ginástica e musculação. Manteve o futebol profissional durante o ano todo e promoveu atividades sociais para os sócios.
  Laércio Martins
Empresário, nasceu em Carmo do Rio Claro no dia 12 de maio de 1952.
Sua primeira eleição deu-se em 1992, aos 40 anos de idade. No ano seguinte foi considerado pela Associação Mineira de Cronistas Esportistas como o Destaque Esportivo. Modernizou os departamentos, dando-lhes mais agilidade para melhor atender aos associados. Inaugurou a piscina aquecida, a Biblioteca “Oscar Nassif”,
A sala de troféus, as quadras de squash e peteca e o Centro de Treinamento Ninho dos Periquitos, entre inúmeras obras.

 

Presidentes do clube.

 

 
P
residentes do Conselho Deliberativo.
conselheiros