História

O futebol chegou a Poços de Caldas no ano de 1904 trazido por Paulino de Souza, um dos fundadores do Foot-ball Club. Depois disso surgiram outras agremiações, sendo uma delas o Internacional F.C., que encerrou as atividades em fevereiro de 1925. Alguns remanescente desta agremiação se uniram formando a Associação Atlética Caldense. João de Moura Gavião reuniu-se com outros jovens desportistas no dia 16 de novembro de 1925 para eleger a primeira diretoria do clube. O encontro foi na Photografia Selecta, sede provisória do time, situada na Avenida Francisco Salles, perto do Hotel Lafaiete e Gavião foi empossado como presidente.

Apesar das dificuldades enfrentadas no começo, a associação despertou grande interesse da juventude de Poços de Caldas pelo futebol. No dia 03 de outubro de 1926 foi fundado o grêmio social esportivo denominado Associação Atlética Caldense, com a fusão da Caldense e o Gambrinus F.C. O clube não possuía sede e os jogos eram realizados no antigo campo de Internacional F.C., onde hoje é o jardim da fonte luminosa. Logo no início, os fundadores do clube já escolheram o terreno do “Chalé Procópio” – que era um enorme brejo – para as atividades futebolísticas, e em 1926 já começaram a dar os primeiros passos para conseguir a área do Coronel Christiano Ozório.

Durante a gestão do presidente João Porfírio Bueno Brandão, em 1928, a diretoria resolveu comemorar, daí por diante, a fundação da Caldense no dia 7 de setembro, por ser uma importante data cívica e coincidir com o feriado nacional. Esta determinação foi oficializada em 1943, na presidência de João Coelho da Silva.

Em 1929 uma comissão chefiada pelo prefeito Carlos Pinheiros foi a São João da Boa Vista e conseguiu junto ao coronel Osório a cessão do imóvel a título precário. Em 1947, a diretoria do presidente José Anacleto Pereira conseguiu da família de Christiano Osório um comando de uso, com o prazo de 20 anos, para as instalações do clube.

A sede inicial e provisória do time da Caldense foi a Photographia Selecta, em 1925. Em seguida vários outros endereços: Palacete Cobra, na praça Pedro Sanches, antigo Cassino Gibimba, de 1938 a 1942, no Polietema, na avenida Francisco Salles até 1959, edifício Imperial até 1962 e, finalmente, em 1962 junto ao estádio Christiano Osório, a partir de dezembro de 1962, na gestão do presidente Antônio Megale. A sede social foi obtida no mesmo ano, com a doação oficial da família Osório. Essa transação foi realizada graças ao empenho do prefeito David Benedicto Ottoni que, com a aprovação da Câmara Municipal, se comprometeu em troca a proceder o arruamento da chácara Osório pela prefeitura. Com a posse do imóvel, vários melhoramentos foram realizados pelas diretorias subsequentes, como a construção da piscina.

Assinatura da doação da área do Chalé Cristiano Osório para a Caldense. Na foto, o prefeito Dr. David B. Ottoni e o doador Cristiano Osório Filho.

Assinatura da doação da área do Chalé Cristiano Osório para a Caldense. Na foto, o prefeito Dr. David B. Ottoni e o doador Cristiano Osório Filho.

Entre 1960 e 1961 o futebol da Veterana ficou famoso nos meios esportistas pela campanha das 57 partidas invictas, o que proporcionou uma onda de entusiasmo entre associados e moradores de Poços de Caldas.

1960 - 57 partidas invicta. Décio Morais, Miguel, Cuca, Zoe, Fubá, Lory, Dusca, Belmiro, Fanelli, jornalista e Walter Pereira. Agachados, Vacarelli, Alfredinho, Marquinhos, Pedrinho, e Eurípedes.

1960 – 57 partidas invicta. Décio Morais, Miguel, Cuca, Zoe, Fubá, Lory, Dusca, Belmiro, Fanelli, jornalista e Walter Pereira. Agachados, Vacarelli, Alfredinho, Marquinhos, Pedrinho, e Eurípedes.

Lutando em seu próprio estádio, que foi durante muitas décadas o palco de memoráveis vitórias do Verdão, e após a edificação das quadras cobertas que possibilitaram a realização dos saudosos Jogos Abertos, a Caldense pôde se destacar nos meios esportivos, tornando-se orgulho dos poços-caldenses de nascimento e de coração. Com a inauguração do Estádio Municipal Ronaldo Junqueira, em 1979, o campo da Associação Atlética Caldense foi desativado e em seu lugar foram construídas quadras de tênis, de peteca, um parque infantil, assim como uma nova piscina para atender o número de associados que a cada ano crescia.

Arquibancada do antigo estádio Christiano Ozório, onde são hoje as quadras de tênis da sede social.

Arquibancada do antigo estádio Christiano Ozório, onde são hoje as quadras de tênis da sede social.

No final da década de 1980, o clube adquiriu, na saída da cidade, uma área de treinamento do futebol profissional, denominada Ninho dos Periquitos. Hoje, o local conta com alojamento, campos de futebol, academia, vestiários, escritório e piscina para a preparação dos jogadores da Veterana.

Em 2002, a Caldense conseguiu o maior título de sua historia, conquistando o Campeonato Mineiro. Apesar de uma campanha brilhante e difícil, a equipe verde e branca mostrou toda a capacidade ao lotar o estádio Ronaldão e derrotar o Nacional, levando o nome de Poços de Caldas ao futebol do Estado.

Equipe Campeã Mineira de Futebol em 2002.

Equipe Campeã Mineira de Futebol em 2002.

Atualmente a Caldense é um dos clubes sociais mais bem estruturados do país, e um dos maiores de Minas Gerais. Conta com cerca de 3.000 cotistas e 11.000 associados.