“Eu sempre sou Caldense”; ex-volante Toninho é entrevistado em comemoração aos 98 anos da Veterana

por

Em comemoração aos 98 anos da Associação Atlética Caldense completados neste 7 de setembro, o clube entrevistou um dos maiores volantes que a Veterana já teve em seu elenco: Toninho, que atuou no time de 1972, cuja campanha fez parte do primeiro acesso da equipe na elite do futebol mineiro.

Muito emocionado pela oportunidade da entrevista, Toninho relembrou histórias que marcaram o elenco da época. Contou curiosidades sobre o técnico Juquita, sobre seus companheiros como Jota Lopes, Buzuca, Ganzepe, e também falou da parceria que comandava o meio de campo da Veterana com Serginho e Paulinho. O ex-volante também ressaltou o carinho do torcedor alviverde com o elenco que fazia a cidade de Poços de Caldas parar para acompanhar os confrontos no Cristiano Osório.

O ponto de maior emoção da entrevista foi o momento em que Toninho ouviu atento a narração de Lázaro Walter Alvisi em seu belíssimo gol de falta contra o América-MG. Junto com o gol marcado por Ganzepe, a Caldense bateu o adversário por 2 a 0.




Questionado sobre o legado da equipe de 72, Toninho reforçou o espírito do elenco junto à torcida. “O legado que eu acho maior é que nós mostramos pro torcedor da Caldense que era possível. E isso só seria possível se uníssemos nós jogadores com os torcedores da Caldense”, disse o ex-volante.

Toninho finalizou a entrevista expressando seu amor pelo clube mesmo depois de tantos anos e de tanta experiência dentro do futebol. “Jogador profissional dificilmente tem um time. O time que eu aprendi a jogar foi o Siderúrgica, que acabou em 67. Joguei no Atlético, joguei nisso, joguei naquilo… Mas eu sempre sou Caldense”.

Assista a entrevista na íntegra: