Artilheiro Lucca é destaque no Sub-11 da Veterana

por

A junção do talento e de um sonho. O jovem Lucca Justino F. dos Reis, atleta de futsal e futebol society, é sócio da Veterana e atua treinando e competindo pelo clube há mais de quatro anos. Lucca vem se destacando ao longo das recentes competições que disputa pela equipe alviverde, sendo o autor de jogadas plásticas e o grande artilheiro dos elencos que faz parte, contribuindo para as boas campanhas do time. Neste ano, o jovem atleta de apenas 11 anos tem uma incrível média de 1,7 gols por partida com seus 26 anotados em 15 jogos nos torneios que participa pela Caldense.

Lucca é a mistura de um nítido talento e amor no esporte. Amor este que carrega junto de si desde cedo nas comuns brincadeiras com bola que fazia com seus pais, e demonstra admiração pelas cores da Veterana e orgulho pela oportunidade de atuar no clube. Inclusive, sonha em um dia atuar profissionalmente pela Caldense.

O atleta respondeu algumas perguntas sobre seu modo de encarar o esporte e como constrói sua confiança ao longo do jogo para colocar em quadra tudo aquilo que treina e se dedica desde cedo. Seu pai, Rodrigo Reis, também falou sobre o talento do filho e como trabalha sua mente para manter “os pés no chão” diante do dom que o Lucca possui:

Qual jogo recente mais te marcou?
Lucca: Foi o jogo contra o Arena Primeiro Passo, onde eu marquei todos os gols. Estava 3 a 2 e faltando alguns minutos para acabar e eu fiz o último gol driblando três jogadores. O jogo estava muito pegado, e depois do gol o time todo ficou mais aliviado.

Antes das partidas você costuma ficar nervoso ou com falta de confiança?
Lucca: Não. Se eu ficar muito nervoso eu sei que não consigo dar o meu melhor. Isso eu já vi em muitas partidas que eu fiz quando eu era menor. Quando eu ia jogar campeonatos eu ficava muito nervoso e muito ansioso e ficava travado com medo de errar. Quando eu fico mais leve em quadra e menos nervoso eu consigo fazer bem o meu jogo.
Eu fui construindo meu psicológico em cima disso, sabendo que não poderia ficar nervoso, tanto para o meu bem quanto para o da equipe.

Quando você entra pra jogar, qual é o seu maior sentimento?
Lucca: Eu sinto que devo dar o meu melhor sempre para ajudar o time, dando assistências, fazendo gols, sabendo meu posicionamento, minha função… Pois eu sei o tamanho da camisa dessa camisa, e eu quero ser jogador da Caldense. Quando entro em campo eu dou a vida, porque eu quero ir subindo até ser jogador profissional da Caldense.

Lucca Justino, 11 anos


Como você conquista essa noção de jogo e de posicionamento dessa forma tão rápida?

Lucca: Isso aconteceu por causa dos jogos da LIDARP, onde eu normalmente jogo de ala. Eu busquei entender o motivo de eu estar cansando tanto durante os jogos. Eu vi que estava correndo muito e estava cansando demais. Eu fui procurar na internet e assisti vários vídeos sobre o jogo e sobre como entender o seu posicionamento dentro da quadra. Então eu vejo e aplico no jogos.

Qual a pessoa que mais te inspira?
Lucca: Na vida são meus pais. Eles sempre me apoiam, me ajudam a nunca desistir. Por exemplo, no jogo em que eu fiz os quatro gols mas perdemos nos pênaltis, eles me consolam e me apoiam.

O que o seu pai significa pra você, quando você vê ele torcendo por você nos jogos?
Lucca: Fico muito feliz! Vejo que existem pais que não apoiam, que não torcem pelo sonho do filho, que forçam seus próprios sonhos em cima do filho. Graças a Deus meu pai me incentiva. Se eu quiser parar, eu sei que ele vai me apoiar e me respeitar sobre aquilo que vou querer fazer da minha vida.

O que o esporte e o futebol significam para você?
Lucca: O esporte e o futebol são minha vida. Principalmente para o futuro. Hoje eu treino muito para ser um jogador no futuro. Mas hoje o futebol é muito importante para mim. Existem pessoas com dificuldades de se socializar, e o esporte ajuda também na comunicação. Existem pessoas com certas doenças que o esporte também pode ajudar. Quando você se acha no esporte é algo que você se apega e não larga mais. O esporte para mim é isso.

Como se sente vendo seu filho de destacando?
Rodrigo: A felicidade é muito grande! Desde pequeno ele se mostrou muito interessado no futebol, muita curiosidade, e foi algo que veio somente dele. Todo pai brinca com o filho, mas quando eu comecei a brincar com ele, ele já demonstrou algo diferente, e eu fui ‘dando corda’. Eu percebi que ele tinha um dom diferenciado. Muito novo ele já percebia o futebol, entendia e copiava muitas jogadas. A partir disso eu percebi que ele conseguia executar… Ele gosta e tem muito talento.

Como você trabalha com ele toda essa expectativa que é gerada em cima do talento dele?
Rodrigo: Eu procuro sempre explicar para ele que existe toda uma construção em cima disso. Ele tem toda uma vida pela frente, e eu procuro explicar para ele que o meio do futebol é muito competitivo. Não é fácil atingir os objetivos. A partir disso, a gente procura educar ele para que ele esteja preparado para o sucesso, mas também para a decepção, que pode acontecer nesse projeto.

Lucca e seu pai Rodrigo